Processo de Constituição de Instituições Financeiras (Parte1)

23_02

Processo de Constituição de Instituições Financeiras (Parte1)

Trabalho com Direito Bancário há 20 (vinte) anos. Nesse período, tive o privilégio de interagir com diversos departamentos do Banco Central do Brasil à frente da condução de inúmeros procedimentos e requerimentos administrativos de interesses de meus clientes. Construí um enorme respeito pelo Banco Central do Brasil em si e por seus profissionais que, movidos por incontestável seriedade, comprometimento e elevada capacitação técnica, buscam incansavelmente a segurança, solidez e vanguarda do sistema financeira nacional do Brasil.

Nesse passo e diante de tanto tempo acompanhando e interagindo com o Banco Central do Brasil, posso afirmar com tranquilidade, que, na seara legislativa, o Banco Central do Brasil é incansável na sua busca pelo constante aperfeiçoamento do arcabouço regulatório do mercado financeiro e de meios de pagamentos, postura que vejo, como brasileiro, com muito orgulho e, como advogado especializado na lida bancária, com entusiasmo.

Especificamente nesse paper, faço menção a uma norma recentemente editada em relação ao regramento aplicável à constituição de instituições financeiras e outras instituições reguladas. Assim, foi editada a Resolução CMN 4.970, de 25 de novembro de 2021 (Resolução 4.970), que tem como objetivo a modernização e racionalização dos processos de autorização de funcionamento daquelas entidades.

A Resolução 4.970 consolida regras anteriormente esparsas em uma única norma e uniformiza os requisitos para as autorizações em relação a todas as espécies reguladas. Ainda, a Resolução 4.970 inova na medida em que permite que o Banco Central adote uma abordagem baseada na complexidade de cada segmento e de cada autorização, de tal forma que o regulador poderá adotar procedimentos proporcionais aos riscos e especificidades de cada segmento.

A Resolução 4.970 é repleta de detalhes que exigem a atenção dos interessados na matéria. Afim de levar a informação de forma direta e não exaustiva, este texto terá o complemento de outros 2 para que o leitor fique a par de tudo em tópicos devidamente organizados.

Autor: Jefferson Dias Miceli – Especialista em Direito Bancário e Mercado capitais

Posts relacionados

Emanuelle De La Noce Fernandes

FORMAÇÃO
• Graduada em Direito pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP)
• Pós-Graduada “lato sensu” em Direito Processual Civil na Pontifícia Universidade Católica (PUC)

ATUAÇÃO
Advogada com formação em Direito Processual Civil e com larga experiência nas mais variadas disputas judiciais cíveis, ante a tribunais estaduais e federais de todo território nacional, bem como em tribunais superiores em Brasília. Plenamente capacitada à elaboração e negociação de contratos comerciais, civis e imobiliários das mais diversas naturezas. Atuação em processo de estruturação e reestruturações de sociedades.

Natália Rebouças Wolfenberg Winand

FORMAÇÃO
• Graduada em direito pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP);
• Pós-graduada “lato sensu” em Direito tributário na Fundação Getúlio Vargas (FGV)
• Pós-graduada em direito penal econômico na Fundação Getúlio Vargas
(FGV)

ATUAÇÃO
Advogada sênior com mais de 10 anos de formação e expertise em Direito Penal, com ênfase em Direito Penal Econômico. Com atuação em todas as fases processuais desde o inquérito policial até a fase executória e com alta aptidão para celebração de acordos de não persecução penal, bem como para a resolução de diversos outros temas ligados ao Direito Penal, em todo território nacional.

Ruy Fernando Cortes de Campos

FORMAÇÃO
• Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica (PUC);
• Pós-Graduado “lato sensu” em Direito Tributário na Pontifícia Universidade Católica (PUC);
• Especialista em Gestão de Operações Societárias e Planejamento Tributário pela Faculdade Brasileira de Tributação (FBT);
• MBA em Gestão Tributária pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis – (Fipecafi);
• Graduando em Ciências Contábeis pela Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis (Fipecafi)
• Juiz do Tribunal de Impostos e Taxas do Estado de São Paulo

ATUAÇÃO
Advogado com sólida formação em Direito Tributário e experiência de 18 anos na área. Forte atuação no contencioso estratégico com alta efetividade na resolução de litígios fiscais perante os tribunais administrativos e judiciais. Ampla visão estratégica em temas de consultoria fiscal nacionais e internacionais, especialmente dos setores industrial, comercial, agronegócio, bebidas e prestação de serviços.